quinta-feira, 11 de setembro de 2014

    Um raio cósmico pode criar um buraco negro e engolir a Terra
    Everton Castro Verdade que é uma variação mais poderosa do nosso Kugelblitz...
         O Campo de Higgs conferiu massa à matéria e pode desfazer essa constituição. Se o nosso Universo se originou de uma colisão de branas pode desaparecer numa colisão também

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Unificação da Física, segundo Maharishi
O fator que falta para a Unificação da Física 4 campos de forças é o Campo Universal Inteligente, a Teoria das Supercordas, Campos Unificados, Física Quântica mais Relatividade Geral, que descreve todas as possibilidades do Universo, cada lagrangeano é um estado da Consciência Universal.
A MQ acabou com o realismo e o ateismo, com a vioilação das desigualdades de Bell acabram as teorias de variaveis ocultas locais restando a não localidde do universo o realismo noa local
A teoria da unificação explica os fenômenos quânticos, usa a mencânica quântica para entender a origem do Universo.
As idéias que apresento não são minhas são de autores ilustres, vejam no álbum do meu scrap, os genios da humanidade que afirmaram a existência de Deus.
EPR, Amigo de Wigner, Escolha de Wheeler, Tunelamento, Efeito Zeno, Salto Quântico, Efeito Frolich, Efeito Meissner comprovam a existência de um campo Universal Consciente que atua como fator causal além dos limites do espaço e do tempo, violando as desigualdades de Bell e a Relatividade Restria.

O envelhecimento e a doença podem ser evitados, porque são efeitos de percepção da mente, se a mente não perceber o corpo velho e doente, ele não fiacrá doente e velho, é preciso sitematicamente mudar a educação da sua mente.
Chopra, Goswami e Maharishi Efeito Meissner dizem que a mente em paz, em ordem, em harmona, gera um campo de proteção contra perturbações e doenças e cura outras. O Universo é a nossa leitura do Universo, nós criamos o Universo, o Universo é a interpretação que damos daquilo que está fora de nós e assim ele se torna real e atua também sobre nós


Unified Field of Natural Law
http://worldpeaceendowment.org/invincibility/invincibility6.html

Se ao medir a posição de um fóton, afetamos a posição de outra particula entrelaçada, instantaneamente, em qualquer distância, e se ao fechar a fenda na Experiência de Wheeler, fazemos um fóton voltar e refletir no espelho por onde já havia passado, podemos concluir que nós, hoje, somos fruto de um fator causal no futuro, mas como o futuro depende de algo num outro futuro, a causa do universo é atemporal, e se ao medir a posição de um fóton afetamos a outra, no sentido simétrico inverso, em qualquer distância, podemos concluir que existe um agente que atua além dos limites do espaço e do tempo, que não é material, portanto, que atua de foram inteligente, e que é atemporal e aespacial, necessariamente.
Vive num eterno presente, sendo o nosso tempo e espaço apenas conceitos lógicos que utiliza nessas ações.
Se na função de onda existem "n" observadores diferentes, somente um observador imaterial pode colapsar a função de onda, sabendo o resultado, prévio, e transmitir a todo o Universo, quebrando o ciclo vicioso de uma função de onda que gera um observador que causa o seu colapso, e também a criação de "n" universos diferentes para cada estado fundamental.
São ações de inteligência atuando na matéria acima dos limites do espaço e do tempo e contra os limites espaço temporais, somente um Observador Universal pode fazer isso

1) Hawking trata o Universo como uma grande função de onda que, sob os parâmetros cosmológicos do Principio Antrópico determina o surgimento de uma ser inteligente, num dado momento de sua evolução; a sintonia é muito fina para isso ser fruto do acaso. Essa consciência está no Universo e tem o universo dentro de si e a sua posição especifica.
2) Como lembra David Bohm, a inteligência e a matéria se originam de um Universo de infinitas dimensões que ele chama de "ordem implicita", na qual o tempo e o espaço não são fatores de delimitação da realidade. A particula é guiada por um campo universal e seria uma expressão dobrada de uma totalidade indivisa, cada partícula conteria um mapa do Universo inteiro. Por isso, como o elétron se torna onda na experiência da dupla fenda e pode estar em qualquer posição, da mesma forma assume uma unica posição dentre as N possiveis, quando sofre a incidência de uma particula que também pode ter posições diferentes como o fóton
3) Se pela teoria de Everett, estamos presentes em multiplos Universos, simultaneamente, podemos dizer que pela Teoria da Consciência Quântica os universos estão presentes no interior de uma única consciência, e é essa Consciência que determina sua trajetória, os universos seguem trajetórias especificas no interior do Campo Universal Inteligente
Um observador material não pode ser efeito e causa da sua função de onda, o colapso espontâneo geraria o caos, ou N universos diferentes, e se cada observador fosse o colapsador da função de onda, a realidade não se concretizaria ou se concretizaria de N modos diferentes, porque sempre existiriam observadores em estados superpostos como prevê o Modelo dos Múltiplos Mundos
4) Como diz Capra , o caráter de onda da matéria implica em que a Consciência está em nós e no Universo inteiro e o Universo com suas leis está na nossa mente.
A função de onda original colapsa numa posição dando origem a um Universo com as nossas caracteristicas como poderia colapsar de N modos diferentes
Coerência dada no Campo

Wheeler e Wigner propuseram que a física necessita de um observador para ser completa. Capra partiu dessa afirmação para dizer que somente uma Consciência Universal pode exercer o papel de determinação da realidade, superando o impasse existente entre um observador criado pela função de onda que vem colapsar essa função de onda, concretizando a realidade com o conhecimento da posição. No passado, os misticos, através da intuição, mergulharam nos últimos degraus da realidade, e expressaram esse conhecimento em termos religiosos, hoje, a ciência com seus recursos tecnológicos pode falar em termos cientificos, sobre a causalidade descendente, conexão não local e movimento descontinuo.
Se as particulas não estão em lugar algum, nós que somos constituidos de particulas não estamos em lugar algum. Somos seres imateriais

A interpretação de Copenhagen é uma teoria meramente instrumental e fenomenológica, sem uma visão coerente da realidade e muitos aceitam a Teoria dos Múltiplos Mundos de Everett, segundo a qual cada observador gera estados que se concretizam em universos paralelos. Somente um observador material sabe o resltado da medição/colapso no Universo, todos os demais terão apenas probabilidades. Então para que a física seja considerada completa é necessário que surja um observador material o que exige um Universo regido pelas cosntantes antrópicas, algo imensamente raro. Tudo pode causar colapso, mas somente um observador pode saber qual o resultado concreto e quais as probailidades. Se o coalpso é aleatório, por que a realidade é coerente ? Por que não existe "n" universos ? O Passado só se concretiza quando um observador no futuro colapsa a sua função de onda ? Então o passado seria uma teoria ? Ele depende do futuro ?
E o futuro, de algo mais futuro ainda ? Para sair desse impasse de um sujeito gerado pela função de onda que colapsa a função que o gerou, Capra e Goswami propuseram algo acima da matéria, consciente, que determiana a realidade, dando-lhe coerência e unidade, não sendo uma possibilidade, mas A possibilidade
Se as particulas não estão em lugar algum nós que somos compotsos de particulas também não estamos em lugar nenhm, somos seres imateriais

O Modelo de Everett prevê que cada observção gera um estado que se realiza em um universo paralelo, Wigner e Wheeler afirmam a necessidade de um observador para completar o conhecimento da fisica, ou seja, a natureza precisa gerar um universo regido pelo principio antrópico forte. Para superar o impasse de um observador gerado por uma função de onda que vem colapsá-la, para superar o paradoxo do efeito que é sua própria causa, para superar o paradoxo da ausência de realidade material antes da observação que implica na afirmação do caráter virtual da realidade, Capra, Goswami e Maharishi propõem a existência de um Campo Universal Inteligente
Uma Mente Universal com todas as possibilidades que determina a nossa realidade, garantindo coerência e unidade, impedindo a sua fragmentação em infinitos universos. A Escolha de Wheeler diz que o passado é gerado pelo futuro, sucessicamentre, até um limite onde não haverá futuro, mas algo fora do tempo. O passado é uma teoria a ser atualizada por um futuro, no limite não haverá um futuro, mas algo fora do tempo. Se existem infinitas observadores para cada universo, deve existir uma única Consciência com todas as possibilidades do Universo

No passado, os homens, através do inconsciente, do êxtase ou da intuição atingiram niveis de profundidade da matéria e expressaram esse conhecimento em termos místicos, hoje podemos falar em termos cientificos, com o auxilio de categorias como conexão não local, causalidade descendente e observador universal. O EPR, o Amigo de Wigner e Escolha de Wheeler comprovam a existência de um Campo Universal Inteligente que viola as desigualdades de Bell e a Relatividade Restritra. Antes da medição, a particula não está em lugar algum, se somos constituidos de particulas, também não estamos em lugar algum, somos seres imateriais determinados pela Consciêcia Universal

Somente uma Consciência Universal pode dar coerência ao Universo evitando que cada observação gere um universo paralelo. Antes da observação a realidade é pura virtualidade que existe na Mente Universal.

Se Everett Many Worlds, Bohm e o Modelo Estocástico podem ser deterministas, por que não o Modelo de Wigner e de Wheeler da Consciência ????
"WIGNER : He became interested in the Vedanta philosophy of Hinduism, particularly its ideas of the universe as an all pervading consciousness. In his collection of essays Symmetries and Reflections - Scientific Essays, he commented "It was not possible to formulate the laws (of quantum theory) in a fully consistent way without reference to consciousness." WIKI

Fenômenos quânticos, que, no passado, não possuiam explicação, eram interpretados em termos religiosos, como o movimento descontínuo, em termos do Véu de Maya, a Consciência Universal, como Deus ou Espírito Santo, a conexão não-local como uma comunicação espiritual. Como diz Capra, no passado, os homens sem conhecimento cientifico, usaram termos religiosos para falar dessa realidade profunda da matéria. Hoje podemos falar em termos científicos.
Segundo a Teoria da Consciência Causa Colapso, a realidade é interligada pelo entrelaçamento, através da ação de um Campo Universal Inteligente, a realidade estaria unida misteriosamente, existindo união da mente com a matéria e com a mente Universal, porque um foton não pode saber instantaneamente a posição do outro, localizado há bilhões de anos luz, para assumir a posição simétrica inversa violando a realtividade restrita e as desigualdades de Bell. Se antes da observção as particulas não estão em lugara lgum e se nós sosmso constituidos de particulas nós não estamos em lugar algum, somos seres imateriais que nos determinamos pela Consciência Universal.

Gene egoista que faz o trilobita desenvolver pernas porque escolheu viver na terra

complexidade irredutivel explicada pela via do processo de seleção cumulativa

origem do universo vai multiplos universos emergindo no continuo espaço tempo

principio antropico forte

A evolução é deterministica e bem ordenada e isso se daria pela seleção cumulativa

que penera e repenera gens mutantes podendo ou não incorporar mutações

e assim viabilizando a sobrevivencia

sem um Inteligent Designe

Tudo que é infintamente improvavel merece duvida na ciencia e
a tese de Dawkins para explicar as complexidades irredutiveis é muito improvavel

sábado, 6 de setembro de 2014

 Segundo a Teoria da Relatividade, se atingisse a velocidade da luz, a nave teria uma massa infinita e para mover um corpo de massa infinita seria necessário uma energia infinita

De fato, os fenomenos de avistamento de Ovnis e Ufos exibem objetos que se deslocam em velocidades impossiveis para qualquer engenho humano, mas até hojé não há nenhum dado reconhecido oficialmente por algum Governo que confirme serem esses objetos naves, e muito menos temos alguma descrição de sua estrutura e mecanismo.

Tampouco existe qualquer dado reconhecido por Governos ou entidades independentes que comprovem um contato com formas de vida inteligentes

Em face da profusão de avistamentos, é muito estranho que nenhum pronunciamento oficial por parte desses supostos visitantes tenha sido apresentado até hoje aos habitantes e governantes da Terra
Like · 1 min

Everton Jobim O problema dos buracos de verme ou minhoca que conectam regioes do Universo no tempo prestente ou passado é primeiro encontrá los na vastidão do cosmos, e segundo, ter tecnologia para mante los abertos e permitir a passagem de uma nave
A teoria das dobras é pesquisada pela NASA mas também não há tecnologia para tal processo, exceto na Enterprise, na ficção

 Existe também outra possibilidade. O matemático austríaco Kurt Gõdel com uma das resoluções possíveis das equações de Einstein propos que, no seu modelo, o Universo de Gõdel, tudo se passa como se a matéria estivesse girando ao redor de um eixo de rotação local, formando às "curvas de tempo fechadas" e assim se poderia viajar no tempo

A galáxia de Andrômeda, situada a aproximadamente 2,5 milhões de anos luz da Terra


O problema dos buracos de verme ou minhoca que conectam regioes do Universo no tempo prestente ou passado é primeiro encontrá los na vastidão do cosmos, e segundo, ter tecnologia para mante los abertos e permitir a passagem de uma nave
A teoria das dobras é pesquisada pela NASA mas também não há tecnologia para tal processo, exceto na Enterprise, na ficção

 Segundo a Teoria da Relatividade, se atingisse a velocidade da luz, a nave teria uma massa infinita e para mover um corpo de massa infinita seria necessário uma energia infinita

De fato, os fenomenos de avistamento de Ovnis e Ufos exibem objetos que se deslocam em velocidades impossiveis para qualquer engenho humano, mas até hoje não há nenhum dado reconhecido oficialmente por algum Governo que confirme serem esses objetos naves, e muito menos temos alguma descrição de sua estrutura e mecanismo.

Tampouco existe qualquer dado reconhecido por Governos ou entidades independentes que comprovem um contato com formas de vida inteligentes

Em face da profusão de avistamentos, é muito estranho que nenhum pronunciamento oficial por parte desses supostos visitantes tenha sido apresentado até hoje aos habitantes e governantes da Terra. A galáxia de Andrômeda, situada a aproximadamente 2,5 milhões de anos luz da Terra


 O problema dos buracos de verme ou minhoca que conectam regioes do Universo no tempo prestente ou passado é primeiro encontrá los na vastidão do cosmos, e segundo, ter tecnologia para mante los abertos e permitir a passagem de uma nave
A teoria das dobras é pesquisada pela NASA mas também não há tecnologia para tal processo, exceto na Enterprise, na ficção

 Segundo a Teoria da Relatividade, se atingisse a velocidade da luz, a nave teria uma massa infinita e para mover um corpo de massa infinita seria necessário uma energia infinita

De fato, os fenomenos de avistamento de Ovnis e Ufos exibem objetos que se deslocam em velocidades impossiveis para qualquer engenho humano, mas até hoje não há nenhum dado reconhecido oficialmente por algum Governo que confirme serem esses objetos naves, e muito menos temos alguma descrição de sua estrutura e mecanismo.

Tampouco existe qualquer dado reconhecido por Governos ou entidades independentes que comprovem um contato com formas de vida inteligentes

Em face da profusão de avistamentos, é muito estranho que nenhum pronunciamento oficial por parte desses supostos visitantes tenha sido apresentado até hoje aos habitantes e governantes da Terra. A galáxia de Andrômeda, situada a aproximadamente 2,5 milhões de anos luz da Terra, é a mais próxima da nossa, e a barreira da distancia também se coloca


  • O problema dos buracos de verme ou minhoca que conectam regioes do Universo no tempo prestente ou passado é primeiro encontrá los na vastidão do cosmos, e segundo, ter tecnologia para mante los abertos e permitir a passagem de uma nave
    A teoria das dobras é pesquisada pela NASA mas também não há tecnologia para tal processo, exceto na Enterprise, na ficção
     Segundo a Teoria da Relatividade, se atingisse a velocidade da luz, a nave teria uma massa infinita e para mover um corpo de massa infinita seria necessário uma energia infinita

    De fato, os fenomenos de avistamento de Ovnis e Ufos exibem objetos que se deslocam em velocidades impossiveis para qualquer engenho humano, mas até hoje não há nenhum dado reconhecido oficialmente por algum Governo que confirme serem esses objetos naves, e muito menos temos alguma descrição de sua estrutura e mecanismo.

    Tampouco existe qualquer dado reconhecido por Governos ou entidades independentes que comprovem um contato com formas de vida inteligentes 

    Em face da profusão de avistamentos, é muito estranho que nenhum pronunciamento oficial por parte desses supostos visitantes tenha sido apresentado até hoje aos habitantes e governantes da Terra. A galáxia de Andrômeda, situada a aproximadamente 2,5 milhões de anos luz da Terra, é a mais próxima da nossa, e a barreira da distancia também se coloca
  •  O diametro da Via Lactea é de 100000 anos luz para se ir de um extremo ao outro da nossa galaxia precisariamos de 100 mil anos na velocidade da luz e não há vida que atravesse esse periodo, nem combustivel, nem alimentos

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

O Universo tem 13,7 bilhoes de anos, a Terra tem 4,6 bilhões anos, existem milhões de galáxias e planetas como a Terra, é possivel, em tese, que existam civilizações mais avançadas tecnologicamente do que a nossa, seriam civilizações que surgiram muito antes da nossa, e que até já teriam se extinguido mas não se detecta nenhum sinal de rádio e comunicação que indique a existencia de vida inteligente fora da Terra, que pode também estar num estágio semelhante ao da vida humana antes da Era Industrial


No teto da meta e a inflação dos alimentos está em dois digitos, recessão com inflação merece o Nobel de economia para Dilma e Mantega, o povo pobre mais pobre
O Universo tem 13,7 bilhoes de anos, a Terra tem 4,6 bilhões anos, existem milhões de galáxias e planetas como a Terra, é possivel, em tese, que existam civilizações mais avançadas tecnologicamente do que a nossa, seriam civilizações que surgiram muito antes da nossa, e que até já teriam se extinguido mas não se detecta nenhum sinal de rádio e comunicação que indique a existencia de vida inteligente fora da Terra, que pode também estar num estágio semelhante ao da vida humana antes da Era Industrial


Obviamente que a referencia cientifica e tecnológica da análise é a nossa, porque não conhecemos outra, temos que nos basear nas leis da fisica que conhecemos, por isso a ficção cientifica faz especulações sobre o avanço da tecnologia no futuro e sobre novas descobertas cientificas que permitiriam um dia a exploração do Universo e o eventual contato com novas formas de vida


500 milhões de anos luz de diametro, ou seja, para ir de uma ponta a outra do conglomerado na velocidade da luz, o que é impossivel segundo a fisica, uma nave demoraria 500 milhoes de anos, por isso é muito pouco provavel que alienigenas visitem a Terra, as distancias são muito grandes, exceto se forem de uma civilização muito avançada e que possua naves que consigam se deslocar muito acima da velocidade da luz ou via atalhos do Universo


 Seria um atalho, mas não se conhece tecnologia para manter esse buraco aberto e fazer uma nave atravessá lo seria uma energia descomunal


 Loucura é viajar no tempo, ver a si mesmo jovem, nascendo, seus pais, o passado da Terra

 Os EUA pensam seriamente em colonização humana fora da Terra com o objetivo de perpetuar a espécie humana no Universo em face dos risco que a vida humana enfrentará num futuro mais ou menos remoto


No norte da Califórnia EUA, 42 antenas miram para o espaço capturando ondas de rádio de fora da Terra.

O primeiro aspecto do paradoxo, "o argumento de escala", é uma função dos números envolvidos: há aproximadamente 200 400 bilhões 2 - 4 x 1011 de estrelas na Via Láctea9 e 70 sextilhões 7 × 1022 no universo visível.10 Mesmo que a vida inteligente ocorra em uma minúscula porcentagem de planetas, ainda haveria um grande número de civilizações existentes na Via Láctea. Este argumento também assume o princípio da mediocridade, que afirma que a Terra não é especial, mas simplesmente um planeta típico, submetido às mesmas leis, efeitos e resultados prováveis que qualquer outro planeta.


 Mensagens contendo a estrutura do nosso DNA e nossa localização foram enviadas nos 1970s via ondas de rádio para toda a galáxia . Hoje estima-se que as ondas tenham alcançado algo em torno de 27,5 mil anos luz; Só o Diametro da Via Láctea é de 100 mil anos luz, como o homem ousa afirmar que em 62.500 anos luz de distancia, não há vida consciente ou mesmo uma civilização em desenvolvimento? Se nestes 27, 5 mil anos luz de tempo e espaço existe o pequeno rochoso chamado Terra, a razão matemática para a existência de outros nos demais 62.500 anos luz é de 4 planetas para cada 30 000 mil anos luz, somente dentro desta galáxia. Levando em conta que a gravidade e as 4 demais forças elementares do universo se aplicam por todo o tempo e espaço, é bem possível que os padrões de Bios ocorram nos mesmos ciclos dentro de exoplanetas habitaveis em galáxias a 40 bilhões de anos luz de nós.

O primeiro é: "Por que não há presença de alienígenas nem de seus artefatos aqui?", se viagem interestelar for possível então, mesmo com a tecnologia presente na Terra, seria preciso de 5 a 50 milhões de anos para colonizar a galáxia.11 Esta é uma quantidade de tempo relativamente pequena em uma escala geológica, ainda mais em uma escala cosmológica. Já que há muitas estrelas mais velhas do que o Sol, ou já que vida inteligente poderia ter se desenvolvido mais cedo em outro lugar, alguém poderia se perguntar por que a galáxia ainda não foi colonizada. Mesmo que a colonização seja impraticável ou indesejável para todas as civilizações alienígenas, exploração em larga escala da galáxia ainda é possível; os meios de exploração e sondas teóricas são discutidos extensivamente abaixo. Entretanto, nenhum sinal de colonização ou exploração foi confirmado.
O primeiro é: "Por que não há presença de alienígenas nem de seus artefatos aqui?", se viagem interestelar for possível então, mesmo com a tecnologia presente na Terra, seria preciso de 5 a 50 milhões de anos para colonizar a galáxia.11 Esta é uma quantidade de tempo relativamente pequena em uma escala geológica, ainda mais em uma escala cosmológica. Já que há muitas estrelas mais velhas do que o Sol, ou já que vida inteligente poderia ter se desenvolvido mais cedo em outro lugar, alguém poderia se perguntar por que a galáxia ainda não foi colonizada. Mesmo que a colonização seja impraticável ou indesejável para todas as civilizações alienígenas, exploração em larga escala da galáxia ainda é possível; os meios de exploração e sondas teóricas são discutidos extensivamente abaixo. Entretanto, nenhum sinal de colonização ou exploração foi confirmado.

El desarrollo de la radioastronomía marcó el futuro de lo que en la década de los 70 se conocería por SETI, la búsqueda de inteligencias extraterrestres. El puntapié inicial lo dieron en 1959 dos físicos de la Universidad de Cornell, Giuseppe Cocconi y Philip Morrison, al publicar en la prestigiosa revista Nature un trabajo que se convertiría en un clásico: Searching for interstellar communications. En él proponían que la mejor manera de buscar extraterrestres era escuchando en la longitud de onda de radio de 21 cm. ¿Por qué? Porque si existen y poseen una ciencia al menos tan avanzada como la nuestra, sabrán que es una de las mejores formas de conocer el universo, puesto que el hidrógeno emite preferentemente a esa longitud de onda. De hecho, es básica en radioastronomía. Sin tener ni idea del trabajo de estos físicos, un joven radioastrónomo llamado Frank Drake había llegado a la misma conclusión. Contratado para operar los radiotelescopios del recién fundado National Radio Astronomy Observatory NRAO, en Virginia Occidental, Drake comenzó el 8 de abril de 1960 su Proyecto Ozma: apuntar el radiotelescopio Tatel, de 26 metros de plato, a dos estrellas cercanas y parecidas a nuestro Sol, Tau Ceti y Epsilon Eridani.

Un libro de texto para SETIA Ucrania se levantou contra um presidente que não quis a integração do pais na União Europeia e a Russia alegou que bandidos nazistas estavam ameçando seus cidadaos no pais. A Ucrania em nenhum momento esboçOu agressão contra a Russia


 Sim, é possível e provável que existam diferentes civilizações em diferentes estágio de desenvolvimento tecnológico e algumas extintas, vide Paradoxo de Fermi, mas até o momento não foi captado nenhum sinal de rádio que indique a existencia de vida inteligente no Universo, e pode ser que nunca venhamos a conhecer tais civilizações tal a magnitude das distancias no Universo

Existe também outra possibilidade. O matemático austríaco Kurt Gõdel com uma das resoluções possíveis das equações de Einstein propos que, no seu modelo, o Universo de Gõdel, tudo se passa como se a matéria estivesse girando ao redor de um eixo de rotação local, formando às "curvas de tempo fechadas" e assim se poderia viajar no tempo


Kiim Venus 1 quatrilhão de sóis. cadê os céticos que dizem que aliens não existem?





Jean Marsoa .....E você contou as "200" bilhões de galáxias?.....E você sabe se o universo é infinito?.......O universo é finito, a *gravidade dita isso.....quando a o "velhinho barbudo", esse está em todos os lugares no universo, exatamente *fazendo milagres e "a...See More


segunda-feira, 7 de julho de 2014

  • A Fisica Quantica comprova existencia de um observador ou inteligencia universal que garante coerencia no ao Universo Ver Interpretação da Mecanica Quantica.
     Existe uma comunicação acima do tempo e do espaço, EPR emaranhado quantico, medição de spins de fotosns a distancias colossais determinando imeditamente a posição do outro foton

sexta-feira, 20 de junho de 2014

EXPERIENCIA DA DUPLA FENDA

ESCOLHA RETARDADA DE WHEELER

AMIGO DE WIGNER

EFEITO ZENÃO

EMARANHADO QUANTICO

MULTIPLOS UNIVERSOS

TUNELAMENTO


EXPERIENCIA DA DUPLA FENDA

ESCOLHA RETARDADA DE WHEELER

AMIGO DE WIGNER

EFEITO ZENÃO

EMARANHADO QUANTICO

MULTIPLOS UNIVERSOS

TUNELAMENTO

 Mundo classico e mundo quantico

diferença entre mente, observação e realidade externa, observada

Wigner
historias paralelas

Deus que cria e não atua deismo
Newton
 Deus que atua Quantica

A estatistica e a medição concreta
mede, define localização

O feixe de luz
incerteza de Heisenberg
quanta e a posição
canonicamente conjugadas
impossivel exatidão

A
particula com comportamento de onda
sem trajetoria

A onda se torna partícula, particula se torna onda

holismo

A
materia escura
neutrons
nao barionica
escura

A ht multiplos observadores
multiplos universos
um observador
holograma

A anti materia
realismo nao local 
nao localidade do universo
acima dos limites espaço temporais

Wheeler e EPR

universo como onda de possibilidades

A energia e materia
luz


VARIAVEIS DE BELL E LEGGET 
VIOLADAS


Does Quantum Physics Make it Easier to Believe in God?

Does Quantum Physics Make It Easier to Believe in God?
CERN
July 10, 2012
Not in any direct way. That is, it doesn’t provide an argument for the existence of God.  But it does so indirectly, by providing an argument against the philosophy called materialism (or “physicalism”), which is the main intellectual opponent of belief in God in today’s world.
Materialism is an atheistic philosophy that says that all of reality is reducible to matter and its interactions. It has gained ground because many people think that it’s supported by science. They think that physics has shown the material world to be a closed system of cause and effect, sealed off from the influence of any non-physical realities  if any there be. Since our minds and thoughts obviously do affect the physical world, it would follow that they are themselves merely physical phenomena. No room for a spiritual soul or free will: for materialists we are just “machines made of meat.”
Quantum mechanics, however, throws a monkey wrench into this simple mechanical view of things.  No less a figure than Eugene Wigner, a Nobel Prize winner in physics, claimed that materialism at least with regard to the human mind is not “logically consistent with present quantum mechanics.” And on the basis of quantum mechanics, Sir Rudolf Peierls, another great 20th-century physicist, said, “the premise that you can describe in terms of physics the whole function of a human being  including [his] knowledge, and [his] consciousness, is untenable. There is still something missing.”
How, one might ask, can quantum mechanics have anything to say about the human mind?  Isn’t it about things that can be physically measured, such as particles and forces?  It is; but while minds cannot be measured, it is ultimately minds that do the measuring. And that, as we shall see, is a fact that cannot be ignored in trying to make sense of quantum mechanics.  If one claims that it is possible (in principle) to give a complete physical description of what goes on during a measurement  including the mind of the person who is doing the measuring one is led into severe difficulties. This was pointed out in the 1930s by the great mathematician John von Neumann.  Though I cannot go into technicalities in an essay such as this, I will try to sketch the argument.
It all begins with the fact that quantum mechanics is inherently probabilistic. Of course, even in “classical physics” (i.e. the physics that preceded quantum mechanics and that still is adequate for many purposes) one sometimes uses probabilities; but one wouldn’t have to if one had enough information.  Quantum mechanics is radically different: it says that even if one had complete information about the state of a physical system, the laws of physics would typically only predict probabilities of future outcomes. These probabilities are encoded in something called the “wavefunction” of the system.
A familiar example of this is the idea of “half-life.”  Radioactive nuclei are liable to “decay” into smaller nuclei and other particles.  If a certain type of nucleus has a half-life of, say, an hour, it means that a nucleus of that type has a 50% chance of decaying within 1 hour, a 75% chance within two hours, and so on. The quantum mechanical equations do not (and cannot) tell you when a particular nucleus will decay, only the probability of it doing so as a function of time. This is not something peculiar to nuclei. The principles of quantum mechanics apply to all physical systems, and those principles are inherently and inescapably probabilistic.
This is where the problem begins. It is a paradoxical (but entirely logical) fact that a probability only makes sense if it is the probability of something definite. For example, to say that Jane has a 70% chance of passing the French exam only means something if at some point she takes the exam and gets a definite grade.  At that point, the probability of her passing no longer remains 70%, but suddenly jumps to 100% (if she passes) or 0% (if she fails). In other words, probabilities of events that lie in between 0 and 100% must at some point jump to 0 or 100% or else they meant nothing in the first place.
This raises a thorny issue for quantum mechanics. The master equation that governs how wavefunctions change with time (the “Schrödinger equation”) does not yield probabilities that suddenly jump to 0 or 100%, but rather ones that vary smoothly and that generally remain greater than 0 and less than 100%.  Radioactive nuclei are a good example. The Schrödinger equation says that the “survival probability” of a nucleus (i.e. the probability of its not having decayed) starts off at 100%, and then falls continuously, reaching 50% after one half-life, 25% after two half-lives, and so on --- but never reaching zero. In other words, the Schrödinger equation only gives probabilities of decaying, never an actual decay! (If there were an actual decay, the survival probability should jump to 0 at that point.)
To recap: (a) Probabilities in quantum mechanics must be the probabilities of definite events. (b) When definite events happen, some probabilities should jump to 0 or 100%. However, (c) the mathematics that describes all physical processes (the Schrödinger equation) does not describe such jumps.  One begins to see how one might reach the conclusion that not everything that happens is a physical process describable by the equations of physics.
Related Questions Welcome to Big Questions Online What Is It to Be Intellectually Humble?
So how do minds enter the picture?  The traditional understanding is that the “definite events” whose probabilities one calculates in quantum mechanics are the outcomes of “measurements” or “observations” (the words are used interchangeably).  If someone (traditionally called “the observer”) checks to see if, say, a nucleus has decayed (perhaps using a Geiger counter), he or she must get a definite answer: yes or no.  Obviously, at that point the probability of the nucleus having decayed (or survived) should jump to 0 or 100%, because the observer then knows the result with certainty.  This is just common sense. The probabilities assigned to events refer to someone’s state of knowledge: before I know the outcome of Jane’s exam I can only say that she has a 70% chance of passing; whereas after I know I must say either 0 or 100%.
Thus, the traditional view is that the probabilities in quantum mechanics  and hence the “wavefunction” that encodes them  refer to the state of knowledge of some “observer”.  (In the words of the famous physicist Sir James Jeans, wavefunctions are “knowledge waves.”)  An observer’s knowledge  and hence the wavefunction that encodes it  makes a discontinuous jump when he/she comes to know the outcome of a measurement (the famous “quantum jump”, traditionally called the “collapse of the wave function”). But the Schrödinger equations that describe any physical process do not give such jumps!  So something must be involved when knowledge changes besides physical processes.
An obvious question is why one needs to talk about knowledge and minds at all. Couldn’t an inanimate physical device (say, a Geiger counter) carry out a “measurement”?  That would run into the very problem pointed out by von Neumann: If the “observer” were just a purely physical entity, such as a Geiger counter, one could in principle write down a bigger wavefunction that described not only the thing being measured but also the observer. And, when calculated with the Schrödinger equation, that bigger wave function would not jump! Again: as long as only purely physical entities are involved, they are governed by an equation that says that the probabilities don’t jump.
That’s why, when Peierls was asked whether a machine could be an “observer,” he said no, explaining that “the quantum mechanical description is in terms of knowledge, and knowledge requires somebody who knows.” Not a purely physical thing, but a mind.
But what if one refuses to accept this conclusion, and maintains that only physical entities exist and that all observers and their minds are entirely describable by the equations of physics? Then the quantum probabilities remain in limbo, not 0 and 100% (in general) but hovering somewhere in between. They never get resolved into unique and definite outcomes, but somehow all possibilities remain always in play. One would thus be forced into what is called the “Many Worlds Interpretation” (MWI) of quantum mechanics.
In MWI, reality is divided into many branches corresponding to all the possible outcomes of all physical situations. If a probability was 70% before a measurement, it doesn’t jump to 0 or 100%; it stays 70% after the measurement, because in 70% of the branches there’s one result and in 30% there’s the other result! For example, in some branches of reality a particular nucleus has decayed --- and “you” observe that it has, while in other branches it has not decayed and “you” observe that it has not. (There are versions of “you” in every branch.) In the Many Worlds picture, you exist in a virtually infinite number of versions: in some branches of reality you are reading this article, in others you are asleep in bed, in others you have never been born. Even proponents of the Many Worlds idea admit that it sounds crazy and strains credulity.
The upshot is this: If the mathematics of quantum mechanics is right (as most fundamental physicists believe), and if materialism is right, one is forced to accept the Many Worlds Interpretation of quantum mechanics. And that is awfully heavy baggage for materialism to carry.
If, on the other hand, we accept the more traditional understanding of quantum mechanics that goes back to von Neumann, one is led by its logic as Wigner and Peierls were to the conclusion that not everything is just matter in motion, and that in particular there is something about the human mind that transcends matter and its laws.  It then becomes possible to take seriously certain questions that materialism had ruled out of court: If the human mind transcends matter to some extent, could there not exist minds that transcend the physical universe altogether? And might there not even exist an ultimate Mind?